sábado, 21 de fevereiro de 2009

sábado de manhã

acordar com o anti-histamínico dentro da cabeça.
as costas a refazerem-se da almofada.
uma voz fina, operática, a sair pela rádio.
abrir os estores, sol.

um silêncio imenso onde se ouvem os pés descalços até entrar no banho.

Sem comentários:

Enviar um comentário