sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

independança

com a apresentação de Elisa Ferreira como candidata à Câmara Municipal do Porto, volta à baila à palavra "independente" na vida política. no entanto, acho que é um erro, mais do que lexical, de conceito. o cabeça de uma lista apresentada por um partido a eleições, não é nunca independente. pode não ser militante, mas independente, não é. para o ser, teria que concorrer sozinho. mas é preciso um corpo (mais que um ego) para preencher lugares nas listas.

Sem comentários:

Enviar um comentário