quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

war zone

O que Israel não consegue compreender é que está a combater uma guerrilha, e uma guerrilha não se combate com ataques do exército. Se Israel oferecesse aos palestinianos melhores condições de vida e boa vizinhança, não haveria razões para que a população apoiasse a guerrilha armada. Ao escolher combatê-la como se fosse uma guerra entre dois exércitos, entre dois países, apenas vai chamando para o embate, mais guerrilhas "amigas" da zona.

Não nutro nenhuma especial simpatia pela luta palestiniana, nem pelo Hamas, nem por Israel, nem por país nenhum que considere que guerra e guerrilha são uma e a mesma coisa. Os americanos aprenderam isso com a Administração Bush. Para o resto do mundo, pelos vistos, esse exemplo não serve como aprendizagem.

2 comentários:

  1. Só uns pequenos apontamentos, ainda há 3 anos salvo erro uma das condiçoes para uma "boa vizinhança" era o abandono de gaza por Israel o que foi feito por este último..., convém também lembrar como sabemos que o Hamas nao é um exército regular e blá blá blá...

    P.s. Nao tenho o pudor para ficar bem com Deus e com o diabo, sim, de facto interesa-me mais a defesa da civilizaçao que é protagonizada por Israel pois é a minha e também é a tua.

    ResponderEliminar
  2. que fique claro, Zapatero Embustero, como tu sabes, eu estou do lado da civilização.

    Só não aceito que a minha civilização bombardeie escolas, hospitais, mesquitas, e cause tantas vítimas civis. Não posso aceitar.

    ResponderEliminar