quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Esparsa - Luís Vaz de Camões

Os bons vi sempre passar
No mundo graves tormentos;
E, para mais m’espantar,
Os maus vi sempre nadar
Em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim
O bem tão mal ordenado,
Fui mau, mas fui castigado:
Assi que, só para mim
Anda o mundo concertado.

1 comentário:

  1. É para ti e para mim, Camões, deixa lá que não estás sozinho.
    Encosta a tua cabecinha no meu ombro e chora.
    Camões rula (esta expressão é muito engraçada).

    ResponderEliminar