quinta-feira, 16 de outubro de 2008

portanto, isso quererá dizer que eu pago para que me paguem, é isso?

“Ou muito me engano ou o que se passa é o seguinte: os contribuintes emprestam o seu dinheiro aos bancos sem cobrar nada, e depois os bancos emprestam o mesmo dinheiro aos contribuintes, mas cobrando simpáticas taxas de juro. A troco de apenas algum dinheiro, os bancos emprestam-nos o nosso próprio dinheiro para que possamos fazer com ele o que quisermos. A nobreza desta atitude dos bancos deve ser sublinhada”.

Ricardo Araújo Pereira, por intermédio do MJM.

1 comentário:

  1. Sugestão de leitura: "A Mulher da Minha Vida", Oficina do Livro, 2008

    http://mulherminhavida.blogspot.com

    ResponderEliminar