segunda-feira, 19 de maio de 2008

subscrevo

Subscrevo as palavras de Henrique Perdigão, publicadas na Rua de Castela:

Desiludido com a pobreza franciscana que rodeia o actua mercado do livro e com a falta de profissialismo que se verifica nas pessoas e organizações que o compõem, questiono:
Até quando?
Que mais é necessário acontecer para O LIVRO desempenhar o papel de actor principal e erradicar de vez com tanta gentinha que não se cansa de se colocar em bicos de pés, aparecer vaidosamente nos meios de comunicação social e transmitir a milhões uma desprestigiante imagem de incompetência?
Como LIVREIRO, lamento que O LIVRO e aqueles que com Ele trabalham, dignamente, ao longo de todos os dias do ano, sejam vitimas da arrogância, prepotência, falta de ética, amadorismo e vaidade de alguns Editores, que, ano após ano, no período que antecede a Feira do Livro, não olham a meios para atingirem os fins e aparecerem nos media pelos piores motivos.
Separar o trigo do joio está a ser uma tarefa dificil! Por ser assim, cada vez mais, a LATINA tem mais vontade em continuar e colaborar com os Editores que prestigiam O LIVRO e não desistem...

Henrique Perdigão

Sem comentários:

Enviar um comentário