segunda-feira, 26 de maio de 2008

afinal o que é preciso?

A semana passada enviei a 23 livreiros um e-mail com o seguinte texto:

Caros Amigos,
O sector do livro, em Portugal, passa por uma fase de reestruturação que tem levado à criação de grandes grupos económicos onde se juntam editores e livreiros. Perante este cenário, o papel dos pequenos empresários do ramo livreiro (ou livrarias independentes, como é mais comum serem chamados), vêem-se muitas vezes encurralados, por um lado, pelas condições impostas pelos grupos editoriais e, por outro, pela feroz concorrência dos grandes grupos livreiros.Numa situação destas, não faz sentido que as livrarias independentes não dialoguem entre si, delineando estratégias comuns de promoção do livro e dos seus espaços como lugares de fruição cultural. Assim, venho propor a realização de um encontro entre representantes do maior número possível de livrarias independentes, de modo a que se possa encontrar um caminho comum para o sucesso de cada um dos nossos projectos.

Até ao momento, recebi apenas uma resposta, agradecendo o envio, mas declinando a reunião.
Assim vai a caravana passando...

2 comentários:

  1. Se eu fosse livreiro, respondia-lhe.

    Mas não desista - insista!

    E dê tempo. As pessoas são muito desconfiadas, precisam de matutar no assunto.

    Mas uma associação de livreiros independentes é fundamental. Crie uma! Afinal só você pode inscrever 2 livrarias!

    ResponderEliminar
  2. E se a a essa reunião pudessem comparecer não apenas livreiros mas livros? Se assim for,eu, em noma da minha Botânica, inscrevo-se! Um abraço Luis.
    É assim mesmo.

    ResponderEliminar