sexta-feira, 11 de abril de 2008

Abril

Com a chuva e os temporais, parece que a vida ficou cinzenta. Os dias custam mais a passar, as presença das pessoas é rarefeita, as palavras complicam-se. À noite, fica a ouvir-se o vento soprar contra as àrvores em frente. Aqui e ali, abrem-se algumas brechas para a poesia. Mas os pés molhados, o corpo pesado pela pressão de um céu cheio de nuvens, o ter que andar sempre carregado com o chapéu de chuva não ajuda. Em Abril, águas mil. Quero mudar de mês já.

Sem comentários:

Enviar um comentário