terça-feira, 25 de março de 2008

Um herói como tu ou eu


pentâmetro jâmbico
(versificação) decassílabo com icto nas sílabas pares [Constitui a métrica usual das poesias dramática e épica inglesas.]


O primeiro romance de Mário Avelar revela-nos a história do herói Carlos Fernandes, entre o dia 12 de Janeiro de 1973 e a noite de 25 de Novembro de 1975. Passa-se, neste livro, pelos anos da revolução, não só a revolução que ocorre na nas ruas e no país que é Portugal, mas também a revolução que decorre dentro do Carlos, sobretudo com a sua entrada na Faculdade e convivência com um novo mundo.

Numa linguagem acessível e corrente, este romance cativa-nos a atenção e tende a ser lido de um só fôlego - a sua organização em capítulos curtos e a estrutura de ligação entre as várias aventuras de Carlos facilitam a identificação com o herói. De referir que a identificação de Carlos Fernandes como herói é expressa na própria contra-capa do livro, que deve ser indentificada como um middle class hero, a figura literária que poderia ser um de nós, que vive as mesmas coisas que nós vivemos, e mais que uma perspectiva heróica, tem o dom de se "safar" na vida.

Até agora com livros publicados na área do ensaio e da poesia, Mário Avelar conjuga essa experiência poética com uma tradição à qual se ligou através das traduções (nomeadamente Faulkner, Lowell, Carroll e Melville) que veio efectuando ao longo da sua carreira. O seu primeiro romance revela-nos um prosador fácil e observador, com capacidade de nos surpreender.

Mário Avelar estará na Livrododia- Centro Histórico no próximo dia 29 de Março, Sábado, para apresentar o seu livro e conversar sobre o mesmo com Luís Filipe Cristóvão. A sessão realiza-se às 16 horas.

Sem comentários:

Enviar um comentário