quarta-feira, 19 de março de 2008

Pensar nos vivos

As notícias da demissão de Manuel Alberto Valente do Grupo Leya apenas confirmam o inevitável - existe uma indústria do livro, por um lado, e as pessoas do livro, por outro. As pessoas do livro fazem falta à indústria, mas a indústria não faz falta nenhuma às pessoas. Quando a indústria pensa que a corrente está a seu favor, as pessoas são livres de seguir a sua estrada.

Boa viagem, Manuel. Sabemos que os ventos te são favoráveis.

Adenda: A saída de Francisco José Viegas para a Bertrand demonstra que, afinal, a Bertelsman aposta em qualidade que vende. Juntando-o a José Luís Peixoto, é agora esta a editora a seguir no que de mais interessante se vai escrevendo no nosso país. E não me admiraria em nada se outros nomes, desta geração, se seguissem...

Sem comentários:

Enviar um comentário