quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

[Correntes d'Escritas] a lusofonia

Do lado do público, alguém pergunta pela poesia portuguesa e pela poesia lusófona.
Ondjaki diz já se ter habituado, nos congressos, a ouvir falar de Portugal, Brasil e dos Países Lusófonos; "foda-se, somos nós", diria Manuel Rui.

Existe de facto uma barreira invisível entre o português dos nossos e o português dos outros. Uma barreira que se não reconhece, da qual se prefere não falar, misturando países, línguas e culturas em diferentes sacos, conforme às conveniências.

Alguma irritação pela sala, algum desdizer - mas o importante já tinha sido lançado: poder-se-á falar de uma comunidade lusófona onde os pares não se reconheces enquanto tal?

Sem comentários:

Enviar um comentário