quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Oiro, Minas, Poesia e Lisboa

Foi ontem à noite, na Casa da América Latina, a apresentação da antologia Oiro de Minas. Na mesa, Ozias Filho ("mais constipado do que feliz"), Prisca Agustoni (a suiça-brasileira que organiza a antologia), Wilmar Silva (um dos poetas antologiados) e Cristina Maria Costa (leitora de serviço nos lançamentos desta colecção). A sessão decorreu suave ao som destas vozes que entrecuzaram leituras dos dez poetas presentes no livro. Na assistência estava ainda Edimilson de Almeida Pereira com a sua filha, a pequena Iara, certamente a rainha da festa.

No final da apresentação, o convivío tomou as rédeas. Não faltava talento: Luís Graça, Golgona Anghel, Inês Leitão, Ana Viana, Valex, Joaquim Cardoso Dias, João Henriques, José Mário Silva, José Luís Peixoto, os autores e os editores da antologia. Promessas de encontros e reencontros futuros. Muitos sorrisos. Muitas palavras. E um segredo, aqui partilhado em primeira mão: vamos ter o José Luís Peixotona Livrododia, lá para o final de Fevereiro.

Não posso deixar de enaltecer a dedicação do Ozias e da Léo, na preparação do livro, da festa e deste encontro. Para eles o meu cumprimento especial.

Sem comentários:

Enviar um comentário