quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Outono, diziam

Já ameaçara, ontem. Sim, a chuva, o que mais.
Não, não posso ir jantar aí esta noite.
O trabalho, ainda o trabalho. Pois.
Pois. A verdade é que estou cansado.
Cansado de tudo isto, também.
Pego em qualquer livro e nada me anima,

o meu corpo é agora um gigante trôpego
a caminhar sobre umas pernas que parecem não lhe pertencer.
Não, não voltei a estar negro.
Não, não voltei a estar preocupado com coisas em que não devia pensar.
Simplesmente, estou assim.
E essa é, será, sempre a minha filosofia.

Talvez volte a não comprar um guarda-chuva este ano. Talvez volte
a não fazer de mim e de ti um jogo. Talvez eu possa continuar
a viver dos objectos esquecidos pelos outros, aqui, nesta cidade.

Outono, diziam. Eu fingia acreditar.
O cheiro da chuva sobre o pó,
o espirro que não consigo controlar.

Sem comentários:

Enviar um comentário