quinta-feira, 14 de junho de 2007

previsão do tempo

agora a cidade ficou cinzenta e o corpo pesa-me inteiro sobre os ombros, como se uma nuvem carregada de chuva me tivesse sido entregue para transporte. o corpo arrasta-se sobre as pernas e mesmo as ideias colam-se umas às outras, e em pedaços, às paredes do meu crânio. adormece-se aqui como numa mortalha, devagar e sem dor, apenas os ligeiros estremecimentos de qualquer coisa que, ao que parece, vai deixar de existir.

Sem comentários:

Enviar um comentário