sexta-feira, 1 de junho de 2007

poema para o dia da criança daqui a dez anos

talvez, daqui a dez anos, me digas,
Filipe, isso não interessa nada.
talvez me digas, que raio,
já passou tanto tempo.
mas hoje,
e nada parece mais importante para ti,
hoje, é dia da criança.

porque agora, tu sabes,
o que te faz voar são os cabelos loiros de uma boneca,
uma batida forte numa música,
uma piada frágil numa novela.
daqui a dez anos,
rir-te-ás comigo das coisas que te fazem rir hoje.

e porque hoje é dia da criança,
e também, porque me pediste uma prenda,
escrevo-te este poema em que talvez pouco percebas.
mas, garanto-te, daqui a dez anos,
dificilmente encontrarás algo que te faça sorrir mais.

Escrevi este poema para a minha irmã Catarina quando ela tinha 9 anos, talvez... não sei bem ao certo. Sei que ela me exigiu uma prenda para o dia da criança e eu escrevi-lhe este poema. Ainda não passaram dez anos, mas é bom recordar - o poema, a Catarina, o dia da criança - agora que já não recebo prendas neste dia.

Sem comentários:

Enviar um comentário