sábado, 10 de fevereiro de 2007

uma história de amor - uma história: amor - [onde se começa a perceber que o amor e os livros, enfim, são dois tópicos de algo estranho e muito maior]

vamos agora dar início à enumeração de palavras difíceis no seguimento da original troca de piropos entre o homem1 e a mulher1 do livro-x que serviu de inspiração à teia poética engendrada por rapaz1 de modo a tomar de amores raparigabonita1, escolhida no cardápio dos corações depois de raparigamesmomuitagira-uau-35 lhe ter dado uma tampa daqueles à moda antiga fingindo não o conhecer à entrada da escola.

vamos - interrompemos aqui o nosso programa para vos anunciar que descendo as escadas vem mulherinteressante1 e sorri nesta direcção [pausa dramática] sim, confirma-sem nesta mesma direcção, sorriso em crescente, aproxima-se e [pausa mais que dramática] beija-nos a face e segue correndo em direcção à rua [momento de respiração acelerada, bate bate coração] - vamos então dar início.

vamos - dar início: mistura um tanto ou quanto abstracta em que alguém parece querer transformar ao momento da entrega [dar] uma carga de novidade e total abertura de campo perante aquilo que poderemos depois ver - vamos dar início à enumeração: raparigabonita1 aceita a dramatização de rapaz1 e inauguram-se as possibilidades de sucesso perante a possibilidade, antes tão distante, de um amoroso acontecimento.

vamos - íamos. numa ida à biblioteca municipal, raparigabonita1 tira da prateleira da Literatura o livro-x [resumo: neste livro Andy, tomado de amores pela bela Emily, decide inventar uma série de peripécias que conquistarão a atenção da tímida menina e, quem sabe, até o seu coração] - dando início, agora que estamos tão perto do fim, a momento não menos dramático. Na prática da leitura raparigabonita1, primeiro emocionada com as parecenças entre a literatura e a realidade, rapidamente se depara com um "petit nom" que lhe dissipa as nebulosas.

íamos - oh darling love how far you drive me crazy - rapaz1 tinha-se dado ao trabalho de procurar no original, mas uma nota de tradução deita agora tudo a perder. raparigabonita1 envia sms que denuncia o grande clímax: traz-me um livro, esta tarde - rapaz1 treme, um livro, ele só conhece aquele livro, que outro livro lhe poderá levar, e tomado por um certo tom de desespero deixa-se ficar fechado em casa, deitado na cama, a ver um daqueles filmes estúpidos da televisão, onde os rapazes, senhores de estratégias simples e repetidas, conquistam sempre as raparigas bonitas.

3 comentários:

  1. gostei tanto...não consigo escrever mais nada que tenha jeito. Gostei tanto...

    ResponderEliminar
  2. Fantástico...simplesmente, fantástico!

    ResponderEliminar
  3. Já me habituei a ir passando por cá para te ler e estou a gostar imenso deste hábito ou deste prazer que descobri no teu blog. Parece-me que já li um comentário idêntico por aqui: andas excepcionalmente inspirado ou és sempre assim? Estava a brincar, não te chateies... a propósito, costumava tratar-te por tu? Olha, já nem sei... vê lá no que dá visitar-te com tanta frequência! Continuação de um bom trabalho.

    ResponderEliminar