segunda-feira, 16 de outubro de 2006

agenda

estava eu, o sam shepard e outras pessoas que conhecemos sentados na mesa de um café a olharmos nos olhos uns dos outros e a sentir escorrer pelas nossas testas o fumo de todos os cigarros do mundo e algum suor, quando pela porta estreita da entrada entrou um homem compacto e sorridente que anunciava, na capa de um jornal, a chegada da maré cheia aos territórios conquistados aos mouros corria o ano de ... [data rasurada].

seria com certeza misterioso não fosse o facto de já o Paco Souto nos ter falado disso uns dias antes quando, fechados os três num quarto de hotel, decidimos despir as nossas roupas e começar a escrever poemas nas camisas das costas - algumas minhocas saiam-lhe dos bolsos e ele falava muito alto das vantagens do isco galego e do comunismo internacional - ou era disto que falavamos ou havia qualquer coisa de errado em toda a estadia - e se me perguntarem a opinião, eu digo que foi o recepcionista.

- mergulhando neste tema, um flashback ou um flash gordon (algumas maneiras de nomear um gin tónico - mário henrique, mário henrique): o recepcionista era um tipo gordo e devedor à inteligência, não tivesse tantas dificuldades de locomoção e daria umas quantas bofetadas a deus quando o encontrasse à saída da missa de domingo. o recepcionista era tudo isto de gente e tinha uma voz muito fina, irritante, sem som nem tom, inaudível - corava quando o olhavamos nos olhos. o recepcionista recusou-se a vender-nos algumas cervejas, coisa que nenhum de nós virá a perdoar-lhe alguma vez.

os pés estendidos sobre o sofá do bar ou do café ou dos jornais amontoados a um canto - jornais literários, é bom de ver, daqueles onde se passeia de chinelos e se fuma algumas beatas apanhadas das páginas de opinião: num deles fazia-se uma crítica ao novo livro do Xoán Abeleira mas cheirava demasiado a marisco e os empregados tinham-se esquecido de trazer os guardanapos. estava então eu, o sam shepard, o carlos quiroga, a maría lado, o carlos figueiras, a antonieta preto, o pedro barata, o nuno travasso, deus nosso senhor, a sereia das águas, o outro paco, o eduardo estevez, a minha vontade de ser outra pessoa e um livro de astrologia - tudo isto às ... [hora rasurada]

1 comentário: