sexta-feira, 29 de setembro de 2006

mundo meu

era eu ou então era o jarvis cocker a entrar pela sala com os joelhos a tocarem-se nas pernas tortas - era a entrevista do j.p.simões e a sua falta de alegria em cada frase construída e arrastada no fumo do cigarro - era uma natalia russa a queixar-se da sorte sem saber a sorte que tinha - era uma noite em branco e abrir muito os olhos para ser só lágrimas a cair dos olhos.

era eu ou então era o juliano spadaccio a correr em direcção ao abraço de todos os seus colegas de equipa - uma loja vazia e um caixa a festejar um golo silenciosamente - já ser de noite e a minha filha a puxar-me a mão para irmos para casa - era uma noite em branco sentado em frente à janela a ver a chuva cair no chão sujo da varanda.

era eu ou então era um disco guardado numa gaveta porque as músicas são tristes - um número de telefone que nunca se usa mas que também nunca se esquece - um vizinho a vociferar idiotices porque nos caiu um prato de madrugada - era uma noite em branco, uma noite em branco como tantas outras, com os mesmos sonhos e pesadelos que me fazem dizer: sim, este mundo é meu.

1 comentário:

  1. Um mundo familiar e confortável apesar de tudo. Tu tens o teu, eu tenho o meu. E assim vivemos...

    um beijo da Maria

    [e mais uma vez vou deitar-me a seguir a ler um texto teu... é tempo de desligar o pc]

    ResponderEliminar