sexta-feira, 22 de setembro de 2006

a história de v

ao olhares o teu corpo em frente ao espelho - e o espelho sou eu, deitado sobre a cama, a masturbar-me - sentes como o tempo ficou quente agora que se inicia o inverno e sorris, maliciosa, com as mãos bem abertas sobre os seios. terias, provavelmente, algo para me dizer, mas só se solta de entre os lábios um suspiro alongado de prazer e perversidade.

ao olhares o teu corpo junto ao meu - e eu sou este homem aqui, à espera, descentrado na fotografia - sabes que mais um dia passou, e que será também num dia como o de hoje que sentirás o meu pénis erecto a invadir-te a vagina e a deliciar-se, molhado, na tua abundante excitação. ao pensares nisso, provavelmente, só um suspiro, ainda mais alongado, se solta de entre os teus lábios mordidos.

ao olhares o teu corpo nesta cama por fazer - e esta cama é apenas o que resta de todo o sexo apaixonado que fizemos de manhã - imaginas que muitas outras manhãs, tardes e noites se seguirão com os nossos cheiros intengrando-se num só perfume. imaginas também que o poder de dois corpos, de duas almas que se amam, dificilmente pode ser quebrado quando reunido assim, intensamente. e provavelmente terás toda a razão.

3 comentários:

  1. Estava a ver que não te lia mais...
    Voltaste. Que prazer...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. o homem descentrado da fotografia encontrou o que todos procuramos todos os dias.

    ResponderEliminar
  3. Estou a ganhar coragem para comprar "A História de V". É um livro que me intriga.

    Estava com medo que tivesses desaparecido como o Abssinto. Aonde é que anda toda a gente?

    Gostei do post. É sexy...

    um beijo da Maria ^-^

    ResponderEliminar