sexta-feira, 30 de junho de 2006

a musa

já que aqui estou escrevo. apetecia-me ficar a noite toda a beber, a ouvir este cd e a sorrir que nem um parvo, mas já só me resta uma cerveja no frigorífico. este cd que me faz sacudir a cabeça bem devagar de um lado ao outro, embalado pela felicidade de estar ainda com a sensação de apertar a mão a um homem que eu adoro. já que aqui estou conto-te isto.

conto-te que me apetece dançar todo ao longo do corredor. homens como eu ficam felizes por conversar com o Arnaldo Antunes e trazer para casa o novo cd dos The Divine Comedy. homens como eu apaixonam-se facilmente por mulheres como tu. já que aqui estou digo-te isto. mesmo que nunca o venhas a ler, nem a ouvir, nem a saber que eu existo assim como existo aqui para ti, onde tu não me vês.

onde tu não me vês eu dou saltinhos pequenos a caminho do céu, um céu que eu invento quando o meu sorriso estica pela cara e tenta até ser mais largo que as minhas bochechas. tenho esta sensação de, mais que estar a ouvir a música, estar dentro da música. e no meio da noite entro dentro de um comboio e sigo até ao norte onde o mar chega forte junto da areia e a namora como eu sonho namorar-te a ti. já aqui passei, escrevo.

3 comentários: