domingo, 11 de junho de 2006

algumas verdades em sacos separados

esta manhã, andei na rua de olhos fechados. primeiro, tive medo - e se aparece alguém, e se chocar com uma árvore - mas a calçada era larga e não havia ninguém à volta. esta manhã, andei na rua de olhos fechados. e quando me senti confiante, quase levantei voo.

gosto de fotografias. tenho-as numa caixa guardadas. sento-me no tapete da sala e retiro-as com cuidado. olho-lhes para dentro com vontade de ficar dentro delas. para estar noutros tempos, noutros dias, noutras peles. passo a mão pela cara e volto a guardá-las.

agora só soletro pedaços de frase, para quê desenvolver uma ideia inteira, um pedaço, um resto de frase, chega para te transmitir toda a intensidade que posso dar - os olhos fechados, as fotografias - agora só soletro pedaços de frase, pequenos contributos para uma verdade que não existe.

1 comentário: