sexta-feira, 24 de março de 2006

listas de palavras

abate, a bata, a roupa, a seca, a chuva, a lima, a alma, a telha, a luz, a cusca, afronta, a medo, atento, restolho, incerto, aberto, a metro, a sonho, em sonhos, orgulhos, e fumos, e tunos, é cedo, um rego, um rio, o mar, és tonto, e pronto, a àgua, a nesga, a falha, a lesma, à nossa, à tua, enfim, no fim. e ainda mais ser capaz de dizer umas quantas palavras que trazias engasgadas em folhas secas pela garganta e um poema inacabado para fazer de nós, tu e a minha imagem de ti, uma série de cadernos de folhas azuis onde se guardam moradas, telefones e listas de compras. isso tudo e ainda uma certa maneira de ser do quotidiano sem ter que vestir a mesma roupa todas as manhãs nem sequer fazer um esforço para ligar o rádio, enquanto tu, tu já sabes, era dali desse canto que um dia ias chegar, fosse como fosse, nunca usaste relógio. e ainda mais, ver o teu nome nos livros quando entras e sais das livrarias, aquele cheiro de papel recortado a acomodar-se no teu nariz e tentares desviar os pés dos caminhos das pessoas que vêm na tua direcção. finges que não entendes as mensagens no telemóvel e continuas a dizer, estou sozinha, quero a minha casa - e sempre sempre tudo assim sem perceberes que a tua casa és tu em qualquer lugar, cruzas as pernas e estás no teu quarto, sempre foi assim. mas melhor, ainda melhor, ainda mais do que isso, ter-te a dizer que agora andas na rua a sorrir para os outros, olhas no espelho uns cabelos brancos que te crescem, sensualmente, sobre a orelha, e ajeitando os caracóis que nunca sentiste teus, permites-te seguir despenteada até ao teu emprego. quanto às palavras, às listas de palavras, são meras coisas que existem. nem mais, nem menos que isso.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  2. estou apaixonada pelo o que você escreve.
    um beijo,

    ResponderEliminar
  3. 1979 foi sem dúvida um ano muito especial. Parabéns por tudo o que escreves. Bjs

    ResponderEliminar