quinta-feira, 9 de março de 2006

corte de cabelo

repetia a mesma coisa uma duas muitas vezes enquanto deixava cair ao chão madeixas de cabelos que com a tesoura cortava pouco a pouco - repetia a mesma coisa uma duas muitas vezes enquanto deixava cair ao chão madeixas de cabelos que com a tesoura cortava pouco a pouco - e ele lembrava-se do dia em que a conhecera, quando ela enrolava os dedos nas mesmas madeixas e sorria com uma cara de menina muito muito feliz - e ele lembrava-se de depois lhe telefonar e de lhe dizer que gostava muito dela e queria ser muito feliz com aquele sorriso de cara de menina - e ele lembrava-se de ser de noite e de ela bater-lhe à porta e dizer-lhe frio e ele abraçou-a - e ele lembrava-se de como esse abraço tinha sido apertado apertado apertado que lhe pareceu que nunca mais deixou de sentir o cheiro dos cabelos dela debaixo do nariz

ela repetia a mesma coisa uma duas muitas vezes enquanto com a tesoura já quase não lhe restava cabelo nenhum e repetia a mesma coisa uma duas muitas vezes, o seu vestido era comprido e escuro, o seu vestido era comprido e escuro, ela não se lembrava mas, daquela vez, ela disse-lhe frio e ele abraçou-a, ela repetia a mesma coisa uma duas muitas vezes e quase que parecia assim frio frio frio frio frio frio frio frio frio frio frio frio mas mais espaçado, a demorar bastante mais tempo - frio frio frio frio frio frio - sim, quase isso, quase isso mesmo- frio ela repetia e ele - lembrava-se, estava mesmo quase muito certo disso - ele tinha-a abraçado e desde essa altura nunca mais deixou de sentir o cheiro dos cabelos dela debaixo do nariz - era isso, era isso, era isso - ela a repetir a mesma coisa uma duas muitas vezes enquanto a tesoura acabou por cair também no chão, no meio das madeixas.

Sem comentários:

Enviar um comentário